Nutrição, Estética e Beleza

Para que serve o ômega 3?

O ômega 3 é um ácido graxo essencial e necessário para que o organismo realize diversas funções. Popularmente conhecido como “ gordura do bem”, ele tem sido muito indicado para uma dieta saudável e balanceada por ter tantos benefícios para a saúde do corpo e da mente.

As gorduras exercem funções muito importantes, pois participam de diversos processos metabólicos e fisiológicos do organismo humano, por isso, o ômega 3 tem se tornado um fator importante para a manutenção de uma boa saúde e prevenção de doenças crônicas.

É bem comum nos depararmos com pessoas idosas que fazem uso dessa vitamina, seja por alimentação ou por suplementação, isso se deve ao fato de que no processo de envelhecer surgem alterações fisiológicas, físicas, psicológicas, cerebrais e sociais, que podem diminuir a qualidade e expectativa de vida das pessoas.

Porém, sintomas e doenças relacionadas a essas alterações podem ser retardadas pelo ômega 3, o mesmo atua prevenindo e tratando enfermidades cardiovasculares, doenças inflamatórias, infecções, reduzindo a ocorrência de lesões, alterações imunológicas e diminuindo o declínio cognitivo.

Os principais componentes do ômega 3 são: 

EPA (ácido eicosapentaenóico) ajuda a produzir no organismo substâncias anti-inflamatórias..

DHA (ácido docosahexaenóico) colabora para a saúde cerebral, inclusive a memória e outras funções cognitivas como a comunicação entre os neurônios.

Em mais detalhes, os benefício mais observados por especialistas são:

Propriedades anti-inflamatórias

Com uma poderosa ação anti- inflamatória, se tornou um aliado na prevenção e tratamento de doenças crônicas, como as doenças cardiovasculares e diabetes. 

Estudos científicos mostram que os ácidos graxos ômega-3 podem modificar a composição dos lipídios das membranas celulares, que resulta na produção de moléculas que são menos inflamatórias do que aquelas produzidas quando o ômega-3 não está presente, ajudando a diminuir a inflamação.

Reduzindo a produção de eicosanóides e as citocinas (substâncias inflamatórias), auxiliando na prevenção ou tratamento de todas as doenças que se originam a partir de inflamações.

Prevenção a doenças auto-imunes

Muitas doenças autoimunes se caracterizam por processos inflamatórios. Por isso, a ação anti-inflamatória do ômega 3 ajuda o organismo a preveni-las, além de promover alívio de seus sintomas.

Controle da glicemia 

Melhora a resistência do hormônio insulina promovendo a redução dos níveis de açúcar no sangue e se tornando um grande aliado no combate a diabetes. 

Essa melhoria no quadro glicêmico pelo ômega 3 está relacionada às alterações no perfil lipídico, controle da pressão arterial, diminuição das concentrações de triglicerídeos sanguíneos e glicose plasmática e diminuição de marcadores inflamatórios.

Melhoria da qualidade da pele

Além de ser um ótimo aliado na proteção contra os raios UV, com o seu poder  anti-inflamatório é capaz de ajudar na prevenção de doenças como psoríase, acne e alergias, além de colaborar para a diminuição da vermelhidão, das rugas e da perda da resistência dos músculos por meio do reabastecimento dos lipídios da pele.

Controle da obesidade

O alto consumo de gorduras trans ou saturadas produz uma inflamação contínua em uma região do cérebro chamada hipotálamo. Dentro dessa região existem  neurônios que são sensores de nutrientes e têm a função de avisar para o corpo que está na hora de parar de comer, pois há energia suficiente para gastar.

Após a perda desses sensores, os indivíduos passam a sentir cada vez mais necessidade de consumir alimentos ricos em gordura e açúcar, porém, estudos comprovaram que o ômega 3 previne essa inflamação e auxilia na formação de novos neurônios que são capazes de modular a sensação de saciedade.

Memória e doenças cerebrais

Contribui com a diminuição do risco de lapsos de memória e raciocínio lento típicos do envelhecimento.

O DHA, encontrado nos óleos graxos do ômega 3, acumula-se em áreas responsáveis pela memória e atenção, como o córtex cerebral e o hipocampo, ajudando a melhorar a estrutura das células cerebrais e retardando o desgaste da memória.

Além disso, ele é também muito utilizado como coadjuvante no tratamento de desordens neurológicas, como o mal de Parkinson e mal de Alzheimer, podendo ajudar a retardar os efeitos causados pelas doenças.

Ansiedade Depressão 

Dentre os neurotransmissores popularmente chamados “hormônios da felicidade, estão:

Serotonina – ligada ao emocional, os picos podem ser liberados durante atividades prazerosas, como comer algo gostoso, trazendo sensações de felicidade e bem-estar.

Dopamina –  age no controle motor, cognição, compensação, prazer, humor e algumas funções endócrinas. É estimulada no ciclo da recompensa, estimulando nosso cérebro a completar tarefas e acionada quando se dá um objetivo e também quando ele é cumprido.

A deficiência de DHA (óleo graxo) está relacionada aos distúrbios de humor, depressão e insônia. As densidades dos receptores de dopamina e da serotonina dependem das concentrações de DHA no cérebro para funcionar da forma correta.

Onde encontrar ômega 3?

Alimentação: 

Peixes – Os peixes de águas frias são uma das principais fontes de ômega 3, em destaque, podemos ressaltar o consumo do salmão, atum e sardinha.

Óleos vegetais – O azeite e o óleo de canola, por exemplo, também são uma ótima fonte desse ácido graxo.

Sementes – Chia, cânhamo, linhaça e outras sementes são uma excelente fonte de ômega 3.

Folhas verdes escuras – Fontes vegetais também contém ômega 3. Couve, brócolis e espinafre são algumas opções para quem busca o ácido graxo em uma alimentação vegana.

Leguminosas – Feijão, soja, ervilha e grão-de-bico são outras opções de fonte de ômega 3, embora não sejam tão ricas nesse nutriente quanto os outros alimentos.

Recomendamos para você

Innutri Mellanmax