Nutrição, Estética e Beleza

Retenção de líquido: o que é e como a alimentação pode evitá-la

Acúmulo de líquido no organismo é uma razão frequente para o inchaço e pode surgir por diversas razões

Sabe aquela sensação de estar inchada? Ela pode acometer regiões como pernas, braços e abdômen e pode acontecer por diversos motivos. A retenção de líquidos é um vilão para quem deseja ter uma percepção melhor sobre o próprio corpo.

Mas por que a retenção de líquidos acontece, afinal?

Para falar sobre isso, é importante entendermos o que provoca a retenção – edema, na linguagem formal – e o consequente inchaço.

Os vasos sanguíneos são estruturas permeáveis, e esses poros servem para entrada e saída, por exemplo, de células, bactérias, proteínas e água. A retenção é o que acontece quando os líquidos saem dos vasos sanguíneos e se alojam em tecidos subcutâneos, provocando acúmulo entre as células.

 Como identificar a retenção de líquidos

 Há vários sinais bem evidentes de que o corpo está retendo líquidos. O principal deles é o inchaço, que é mais comum em áreas como pernas, braços, barriga, costas e rosto. Além disso, a quantidade diária de urina diminui, a sensação de cansaço aumenta e essas regiões, quando apertadas, ficam com marcas visíveis e esbranquiçadas.

 Aliás, apertar é uma boa maneira de saber se o corpo está retendo líquidos. Se após 30 segundos de contato com os dedos a área ficar marcada, sinal de que existe um excesso de líquidos por ali.

O que provoca a retenção de líquidos e quais os sintomas mais frequentes

A retenção de líquidos afeta mais as mulheres, especialmente em períodos que estão relacionados a desequilíbrios hormonais, como por exemplo os dias que antecedem a menstruação, a gravidez ou a menopausa. 

Temos que citar também a questão dos problemas de circulação, alimentação inadequada ou estresse também promovem retenção e consequente ganho de peso.

E por que retemos líquido?

Quando o organismo detecta um baixo nível de líquidos, que pode ocorrer por  ingestão insuficiente, ou ainda pelo consumo excessivo de sódio, ele ativa um mecanismo de defesa que “fecha” as portas para reter o líquido que considera necessário para manter o equilíbrio. 

Mãos, tornozelos, lábios ou pálpebras inchadas são comuns e sinais de que o corpo está tentando nivelar o excesso de sódio com a retenção de líquidos.

Isso ocorre quando nosso corpo acumula uma quantidade excessiva de líquidos nos tecidos corporais, o que se manifesta com sensações de inchaço, inflamação e aumento de peso brusco. 

Apesar de poder mascarar problemas circulatórios, cardíacos, hepáticos ou renais, na maioria dos casos a causa subjacente é mais simples do que parece: má alimentação, sedentarismo, estresse e/ou desequilíbrios hormonais. 

Quais são os alimentos que ajudam a diminuir a retenção de líquidos

Além de um acompanhamento médico, algumas mudanças na dieta podem ter efeito contundente na luta contra a retenção de líquidos. Existem alimentos que ajudam a reprogramar o organismo e são aliados poderosos para quem deseja combater o inchaço.

O abacate, a banana e o tomate, por exemplo, ajudam no combate à retenção por conterem muito potássio; chás e gengibre também são ótimos por possuírem propriedades diuréticas; a cúrcuma atua em outra direção, mas é igualmente eficiente por ser anti-inflamatória; melancia e pepino são eficientes pela enorme quantidade de água em sua composição; a aveia ajuda por regular o funcionamento do intestino.

Em contrapartida, pessoas que desejem enfrentar a retenção de líquido devem evitar excesso de sal, bebidas alcoólicas e refrigerante, três dos principais vilões.

IMPORTANTE:

Associe uma boa alimentação com uma vida mais saudável, incorpore o exercício físico e claro, associe por exemplo a drenagem linfática, procure um Profissional de Estética e construa o seu plano individual de tratamento.

Temos à disposição ótimas opções de chás detox que ajudam muito na eliminação dos líquidos, formulações com ingredientes naturais que podem ser inseridos na sua rotina diária de cuidados.

Finalmente, eis um conselho final: “Não se esqueça que o mais importante é se alimentar de maneira o mais natural possível, evitando produtos processados ​​e monitorando sua ingestão de sal e açúcar. Além disso, garanta bom consumo de água e incorpore atividade física no seu dia a dia.”